– O que significa quando uma garota veste a camisa do Palmeiras?

-Olha, pra mim significa que eu amo o Palmeiras e que ele é por demais importante na minha vida.

Dias depois, quando o Palmeiras jogava uma final, ele foi comigo assistir a partida em meio a um bando de palmeirenses. Me tranquei no banheiro na hora dos pênaltis, não consigo ver o Palmeiras bater pênalti. Ele, em silêncio, respeitava meu nervosismo, meus xingamentos, todas as vezes em que eu brigava com o Gabriel Jesus ou orava pra Deus iluminar o Prass.

O Palmeiras perdeu naquele dia. E então ele olhou pra mim e disse “Agora eu sei o que o Palmeiras é para você.”

Toda quarta, eu chegava da escola, fazia lição, tomava banho e ia para o Palestra Itália assistir o Palmeiras jogar. Meu pai me vestia de menino. Colocava aquele meu longo cabelo por entre a fivela do boné, me entregava tênis verde e branco da Adidas, meiões, camisa 7 do Edmundo. E a gente ia.

Eu ficava num daqueles camarotes sentada no parapeito, comendo pipocas e esperando um gol. Ninguém deve passar por esta vida sem estar num estádio e ver seu time fazer gol. É a gritaria mais linda que um coração pode suportar.

Durante anos, cortei meu bolo de aniversário fazendo o pedido para que o Palmeiras fosse para Tóquio. Chorei no Paulista de 93,  chorei na Libertadores de 99. Abracei profundamente este amor quando caímos pra segundona. Gritei de felicidade quando voltamos pra Arena. Abracei o Zinho, Sorri pro Evair, sentei na escada que dava para o campo e conversei por um longo período com o Luxemburgo. Até hoje lembro disso. Para mim, aquela menininha de 8 anos de idade, isso foi inesquecível.

Ontem o Palmeiras ganhou um título e eu estava lá, naquele lugar que eu amo e sempre ia para comemorar nossas conquistas. A Avenida Paulista era toda verde e branca.

A gente ama muita coisa e muitas pessoas nesta vida. Este amor muda com o tempo, com o estado em que nos encontramos, com a raiva e desespero que o outro nos causa, com a felicidade que ele nos provoca.

O Palmeiras talvez seja o amor mais longo que tenho na minha vida. A gente briga, a gente se ama, a gente dá um tempo. Por vezes repenso a relação, arrumo as malas e não assisto a mais nenhum jogo. Por outras descubro que o amor tem disso, é isso. É voltar pra casa depois de uma discussão interminável e deixar de dormir no sofá. É chorar com o Gabriel Jesus e prometer jamais esquecê-lo. É Chorar de emoção de ver o Prass voltando a campo e o Jaílson, o garoto em que a avó costurava a única calça de treino e a colocava pra secar atrás da geladeira, invicto e herói.

O Amor é acordar feliz depois de uma festa linda e da conquista de algo tão importante, abraçado em campo, cantando com a torcida, percebendo que o tempo passa, mas alguns amores são inesquecíveis.

Para o meu Palmeiras, meu terno amor.

 

Anúncios